Home
Portal Figueiro
Aldeia
Santa Eufêmia
Patrimonio
A Visitar
Ultimos Moinhos
Figuras
Album de Fotos
Multimedia
Noticias de Figueiró
Noticias do Concelho
Comunidades
Obras
Junta de Freguesia
Como Chegar
Hotelaria
Links
Arquivo
Contactos

 

 

Brasão de Armas Tradições Ordem de Malta Lendas Economia Gastronomia

Economia

         

          Figueiró, sempre foi uma aldeia maioritariamente ligada à agricultura e pastorícia, atingindo os pastores existentes um número bastante significativo. Com a desertificação da maior parte das quintas, resultante da forte emigração que atingiria gravemente esta região do interior, esse número seria reduzido drasticamente. O número total da população, 1005 habitantes, que conheceu em 1946, reduz-se agora a cerca de 300, que fazem da construção civil, o principal sector de laboração. No princípio do século XX havia duas fábricas de lanifícios, que muito cedo fecharam as suas portas. Uma que teve o seu início no século XIX, encerraria nos fins do mesmo século ou princípios do sec. XX, a outra acabou em 1950. Durante a segunda guerra mundial, e com a exploração das minas conheceu-se uma certa prosperidade que haveria de trazer más consequências para a freguesia.     
          Aliás o proveito seria praticamente nulo para Figueiró, que se limitou a ver dezenas de habitantes e trabalhadores das minas a morrerem no auge da sua vida, vítimas da silicose. Famílias destroçadas, viúvas jovens e crianças que cresceram sem terem os pais a seu lado. As terras por onde as águas da lavagem do minério passavam, ficariam estéreis, muitas ainda nos dias de hoje, e a compensação foi nenhuma, sem ninguém a aceitar as responsabilidades.

          Houve um período em que se registou um grande número de pessoas que se dedicavam a diferentes ofícios e ramos comerciais. Numa edição do Jornal de Gouveia de 1953, encontravam-se os seguintes anúncios publicitários referentes a Figueiró da Serra:

 

          Para além destes, muitos outros exerciam, outras actividades como alfaiates, ferradores, ferreiros, electricistas, padeiras, pedreiros, tecelões, serralheiros, sapateiros, etc. Era uma aldeia em franco desenvolvimento, que se encontrava em situação mais avançada que muitas das aldeias do concelho. Hoje, um pouco por culpa da política, Figueiró está a tentar recuperar o prestígio que lhe pertence. Na actualidade, boas vias de comunicação são fundamentais para o progresso necessário, não se percebe a razão de existir no séc. XXI uma estrada nas condições daquela que liga Figueiró à sede do concelho, Gouveia.


          Vamos esperar para ver o que o futuro nos reserva...

Site optimizado para Internet Explorer 5+

Copyright © 2005 [Jose Ferreira]. All rights reserved. webmaster@figueirodaserra.com